Dicas para vencer o estresse

Atualizado: 8 de mar.

Estratégias inteligentes de reeducação mental à aquisição de hábitos construtivos ao bom gerenciamento da vida.





Muito provavelmente você já se deu conta que em sua vida, muitas vezes, os níveis de estresse saem do controle em resposta às inúmeras demandas profissionais e cognitivas a que é submetido e como resultado, tende a desenvolver uma considerável perda da produtividade intelectual e, até mesmo, da sua saúde física e mental. Então, diante da constatação do óbvio, você pode dizer a si mesmo: Eu preciso fazer alguma coisa para mudar isso!


É verdade, num primeiro momento, que o estresse pode ser extremamente nocivo à integridade do corpo, da mente e das emoções. Contudo, também é verdade que manter o estresse sob controle é fundamental para o bom gerenciamento da vida. Isto é, um pouco de estresse faz bem. O problema é o excesso dele. Então, permita-me compartilhar com você um pouco da minha experiência com algumas dicas essenciais que, acredito, ajudarão a manter o seu estresse em níveis satisfatórios - pois eliminá-lo totalmente é impossível.


Dica n.º 1 - Identificar a causa


É difícil planejarmos adequadamente o futuro se não soubermos de onde viemos e, principalmente, como vivemos o presente. Ou seja, é praticamente impossível resolver um problema sem antes identificar suas causas reais e resultados delas, no aqui e agora.


É preciso parar por um tempinho para refletir profundamente sobre as consequências estressantes de suas escolhas. Sim, muitas vezes o estresse demasiado é fruto de escolhas equivocadas ou precipitadas. Então, a prática diária do exercício de reflexão, de auto investigação, pensar profundamente nas questões que te afligem te ajudará a identificar com mais propriedade as causas verdadeiras de estados estressantes que contaminam sua vida. Nessa prática é importante você saber a diferença daquilo que desenvolve cansaço e o que promove estresse. Pois o cansaço, basicamente, resolvemos descansando. Já o estresse, precisamos mudar de rota.


Compreenda que identificar as causas do estresse é o primeiro passo para gerencia-lo.


Dica n.º 2 - Criar novos hábitos


É curioso como a nossa mente alimenta-se da absorção de experiências cotidianas e pensamentos, e essas, por sua vez, promovem hábitos e condicionamentos. Isto é, tudo o que fazemos experiencialmente, consciente e inconscientemente, gera uma espécie de memória crescente psico-morfológica. Adicionamos ao nosso DNA um emaranhado de reflexos e ações subjetivas que animam nossos hábitos e condicionamentos. Então, devido ao manancial quase que inesgotável de informações que recebemos no dia-a-dia e numa quantidade e velocidade absurdamente incapaz de serem processadas adequadamente pelo nosso cérebro terá fatalmente, como resultado, a produção de hábitos e condicionamentos defeituosos e, muitos deles, inadequados.


Então como podemos mudar hábitos e condicionamentos? Na verdade não podemos. Pois um hábito adquirido jamais é desfeito. O que podemos fazer é criar novos hábitos capazes de neutralizar a ação daquele habito nocivo ou o conjunto deles. Contudo, ele continuará lá e se for estimulado, certamente voltará a agir definindo seus padrões comportamentais de vida.


Em nosso cérebro há um setor chamado gânglios basais e é nele que promovemos e armazenamos nossos hábitos a fim de economizarmos energia. É como se o cérebro colocasse a gente numa espécie de standby comportamental naquelas ações cotidianas que fazemos quase sem pensar; como levantar a noite para ir ao banheiro com as luzes apagadas - pois já conhecemos o caminho, ou seguir sempre pelo mesmo trajeto até o trabalho, etc... O mesmo ocorre com os pensamentos. Há àqueles que circulam a nossa mente com uma certa frequência, que chamamos de pensamentos periféricos, e àqueles que surgem sem a nossa vontade, mas que repetem um determinado padrão e que chamamos de pensamentos aleatórios. Assim, todo hábito mental gera um condicionamento comportamental. Isto é, tudo que alimentamos em nossa mente através dos pensamentos, sejam eles periféricos e/ou aleatórios, produzem condicionamentos na maneira como pensamos, falamos e agimos. Por isso que a reeducação comportamental é fundamental para gerenciarmos o bom estresse.


Nesse processo de ressignificação da qualidade dos pensamentos, podemos começar pela substituição de pensamentos estressantes e inadequados, todas às vezes que eles surgirem, por pensamentos harmonizantes e construtivos. Ou seja, toda vez que um pensamento estranho, negativo ou denso surgir, imediatamente substitua ele por um pensamento seguro, positivo e leve. Por exemplo, quando eu estou perturbado, triste ou inseguro, lembro-me prontamente do meu filho, Valentim, sorrindo, brincando e me chamando de papai - no mesmo instante meu modelo mental se transforma em algo muito bom. E mesmo que pensamentos contrários à harmonia mental retornem à sua mente, novamente e, novamente, quantas vezes forem necessárias, substitua pensamentos indesejados por pensamentos bons e dignificantes. Depois de um período não inferior a 10 dias, mantendo essa dinâmica, você perceberá uma mudança considerável e muito positiva no seu comportamento mental.


Outro ponto extremamente importante para gerenciar o estresse é a prática regular de atividades físicas inteligentes. Ou seja, qualquer método de treinamento físico escolhido por você precisa, essencialmente, respeitar os limites estruturais do seu corpo e mente, gerar a sensação de prazer e promover os resultados desejados dentro do tempo estipulado. Pois a prática de atividades físicas, nesse sentido, além de todos os efeitos positivos na melhora da saúde já conhecida por todos, tende a hiper oxigenar setores do cérebro que controlam nossos h[abitos e condicionamentos. Práticas integrativas como o yoga e as artes marciais são excelentes nesse trabalho.


Outra técnica maravilhosa que recomendo é a prática da meditação. Há séculos a meditação tem sido usada como uma ferramenta poderosa de controle mental e expansão da consciência. Ela auxilia o equilíbrio das funções neurológicas, melhora a cognição e, claro, ajuda no controle do estresse. Em linhas gerais, a meditação atua como um "desinfetante" natural de higienização mental. Limpando os pensamentos das ervas daninhas que se amontoam na mente.


Outro ponto a ser observado para o refinamento interior e aquisição de um elevado nível cultural é a leitura de livros clássicos da literatura mundial. Pois promovem, assim como a meditação, a expansão da consciência e do imaginário, e isso te leva a acessar e compreender setores não desbravados da sua mente. Logo, desenvolve-se ferramentas mentais eficazes para baixar os níveis de estresse à medida que sua consciência vai sendo aprimorada e expandida.


E creio que uma última dica sobre a promoção de bons hábitos, não menos importante que as demais, acima, seja estabelecer uma prática espiritualmente regrada. Isto é, se propor a uma disciplina sagrada. Pode ser a prática de uma religião que nutra os arquétipos de seu imaginário e que proteja toda uma simbologia mítica de elevados valores morais e éticos.


Voluntariado é também uma rica maneira para estabelecer a conexão adequada com sua espiritualidade, desde que ela seja desinteressada. Ou seja, praticada sem a necessidade de mérito ou auto promoção.


A sacralidade na vida é fundamental para o bom comportamento mental. Contudo, é importante compreender que o Sagrado não está, necessariamente, no dogma religioso ou doutrina espiritual, mas sim, naquilo que confere sentido existencial a você e que esteja acima de sua individualidade. É claro que o Sagrado está na prática religiosa, mas não somente nela. Espiritualidade e religião são coisas diferentes. A religião precisa da espiritualidade de cada individuo para que ela se estabeleça enquanto instituição. Mas a espiritualidade, que é sempre de foro íntimo, não precisa necessariamente da religião para ser professada e vivenciada. Ela está conectada com uma vida sacralizada, uma vida que valha a pena, uma vida repleta de sentido e que eleve o individuo a patamares superiores de existência, sustentados pelo amor maior, pela compaixão e pela serviência.


"Sofrimento que pode ser evitado, é sofrimento que não existe." - Patáñjali, Yogasutras

Dica n.º 3 - Manter o foco


Bom, você percebeu que não há uma fórmula mágica para vencer o estresse. O que há, na verdade, é a disposição em se propor a mudar e a disciplina apropriada nesse sentido. Certamente você encontrará uma infinidade de motivos para não fazer o que preciso. Mas terá apenas um único e convincente motivo para fazê-lo: Mudar é difícil, mas não mudar é fatal!


Acredito que você, ao longo da sua vida, percebeu que muitos problemas ocorreram pela falta de disciplina, de foco, de perseverança. Uma vida sem disciplina é uma vida cheia de derrotas, amarguras e perdas inestimáveis. Sem disciplina perdemos a capacidade combativa de enfrentar as adversidades com inteligência e assertividade. Compreenda, portanto, que a palavra chave para a mudança tão necessária em sua vida é, DISCIPLINA.


Quando você se convence da importância em reeducar seu comportamento através da aquisição de hábitos saudáveis, consegue, também, mudar vários aspectos de suas rotinas diárias, elegendo estratégias dentro de suas possibilidades de tempo, recursos e logística. Pois a meta a ser atingida, o patamar de vida a ser alcançado e o tão almejado autocontrole se tornam uma prioridade em sua vida, pois sabe que sua saude integral e bem estar geral dependem disso. Por este motivo eleja o foco apropriado e direcione seus recursos em alcança-lo. As adversidades virão, ok, mas não se preocupe, você passará por elas, de um jeito ou de outro. A questão é como você conseguirá vencê-las. Portanto, determine o foco, mantenha a resiliência e siga em frente!


Dica n.º 4 - Comemore as conquistas


Uma das coisas mais agradáveis no caminho do autoconhecimento é perceber os avanços dessa jornada e comemorar cada um deles, independente da proporção desse avanço, grande ou pequeno, não importa. Apenas sinta-se preenchido pelo conhecimento adquirido, pelas respostas acessadas e serenidade que isso proporciona. É desfrutar, com alegria, da sensação real de que a própria consciência evoluiu para um nível muito melhor em que estava. Sentir que determinadas circunstâncias da vida já são melhores gerenciadas por você, agora. Enfim, comemore cada pequeno avanço, penetre profundamente a consciência neles. Cada detalhe importa. Então seja verdadeiramente grato a tudo e a todos que proporcionaram isso a você.


Torne-se a melhor versão de si mesmo! Você pode! Você consegue!


Sempre acreditei que se formos capazes de suportar o que muitos não suportam - por falta de treinamento e disciplina apropriados, seremos capazes de alcançar feitos inimagináveis. Afinal, somente a constância da prática, do esforço correto, define a qualidade do resultado desejado!

133 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo